Renato Ribas encerra programação do Música Itinerante 2018
03/12/2018 17:52 em Música

Renato Ribas encerra programação do Música Itinerante 2018

Apresentação ocorre no dia 15 de dezembro, às 21h, no Cine Theatro Brasil

 

O cantor Renato Ribas encerra a temporada de shows do “Música Itinerante 2018” com seu novo show “Imigrante”, no dia 15 de dezembro, às 21h, no Teatro de Câmara do Cine Theatro Brasil (avenida Amazonas, 315 - Centro). 

“Imigrante” é aquele que entra em um país estrangeiro. É visto pela perspectiva do lugar que o acolhe; é o indivíduo que veio do exterior. Na perspectiva da música, Renato Ribas é um imigrante, que se estabelece nela para realizar show - ou show happening - “Imigrante”.

 

O termo happening é uma forma de expressão das artes visuais que, de certa maneira, apresenta características das artes cênicas. Neste tipo de obra, quase sempre planejada, incorpora-se algum elemento de espontaneidade ou improvisação, que nunca se repete da mesma maneira a cada nova apresentação, geralmente envolve a participação direta ou indireta do público espectador.

 

Ampliando o conceito para a música, o show happening traz ao público o Renato Ribas artista em diálogo constante com a contemporaneidade e sua preocupação em discutir temas atuais que englobam questões urgentes no mundo, como a imigração e a crescente aversão a esta prática, os conflitos mundiais e, por outro lado, a percepção de características e vivências comuns a todos os povos, através da manifestação dos desejos e afetos, dores e angustias.

 

O que faz alguém ter que sair do seu lugar de origem? O que faz alguém se sentir pertencente ou não a algum lugar? Seja por necessidade ou escolha, alguns paradoxos se materializam nessas questões. A necessidade de sair, muitas vezes sem desejo real, pode se configurar como uma aventura na qual o final depende da sorte.

 

Tal insegurança é traduzida nos momentos iniciais de “Imigrante”, em canções como “Balada do oitavo andar”, de João Eduardo Tatit e Zeca Baleiro, “Sorte e azar”, de Agenor Neto e Roberto Frejat e “Poema da batalha”, de Gabriela e Thiago Corrêa. Renato se encontra nestes eu-líricos que sofrem com a transição, ainda que resignados, encontram-se a todo momento com a dúvida do que o futuro os reserva, na chegada e na permanência no novo lugar.

 

A seguir, a canção “O mundo”, de André Abujamra configura a visão do mundo em sua diversidade cultural e reflete o quanto todos estão individualizados em verdades e causas próprias e ao mesmo tempo unidos, por sentir simultaneamente todas elas, ainda que em posições geográficas distintas (todos somos filhos de Deus / só não falamos a mesma língua).

 

Estes pontos de convergências continuam sugeridos nas escolhas desse segundo bloco de canções e trazem, por exemplo, a figura da Mãe como referência à saudade da terra de origem (“Maamo”, da banda finlandesa Värttina), e da saudade de quem fica e vê seu ente querido partir.

 

A separação e todo turbilhão de sentimentos trazidos à tona até o momento são como que expurgados por “Iansã”, de Caetano Veloso e Gilberto Gil, e partem para uma reconciliação entre povos, na aceitação e comunhão das diferenças. Renato passeia por línguas diversas, além do finlandês anteriormente citado, como espanhol, árabe, hindi, português de Cabo Verde e francês, e revela na pluralidade sua força.

 

O momento final de “Imigrante” traz “Oração”, de Dani Black, “João sem terra”, de Sá e Guarabyra e “Feeling good”, de Leslie Bricusse, eternizada na voz de Nina Simone. O show happening de Renato Ribas tem como desfecho o anseio por melhores tempos, a afirmação do ser imigrante e sua possibilidade de existir e ser acolhido no mundo novo. Seja na prece, na legitimação ou no hino, “Imigrante” encontra na esperança no próprio ser humano a motivação de ser mutante, porque é ser livre. A vida encontra a arte e se traduz em forma de um espetáculo musical, visual e sensorial. Na perspectiva da música, Renato Ribas é um imigrante, que é acolhido por ela e veio pra ficar.

 

No palco, o cantor se apresenta ao lado dos músicos Artur Rezende (bateria), Thiago Correa (baixo) e Rogério Delayon (guitarras e violão), e conta a luxuosa participação do Trio Amaranto.

 

Sobre Renato Ribas

A música está presente na vida de Renato desde a infância, como ele mesmo conta: “Eu me lembro, quando criança, minha mãe colocava um gravador pra eu cantar. Eu decorava músicas em inglês, português e cantava. O tal gravador, que foi presente da minha avó, era inseparável, eu devia ter uns seis anos”. Nascido em Belo Horizonte, foi ainda pequeno viver em Sete Lagoas, onde morou até os 14 anos. Voltou para BH onde morou até os 21 anos, quando partiu para estudar medicina em Vitória-ES.

 

Renato sempre gostou de música popular brasileira e rock. É perceptível a influência desses dois gêneros na escolha do repertório e também no modo como o cantor constrói suas interpretações, conseguindo fundir, sem conflito, certa “doçura” e também “aspereza”. Essa mistura está no timbre da voz, por vezes “rasgado”, como de um roqueiro, e também no modo como inflexiona – com clareza – as palavras em seu canto. Esse domínio vem não só de seu talento, mas também de sua exigência e disciplina. Renato é médico e estuda canto há 12 anos, tendo iniciado os estudos na Babaya Escola de Canto, onde permaneceu por seis anos. Atualmente estuda com a professora e preparadora vocal Regina Milagres.

 

Renato Ribas realizou quatro shows estilo happening ao longo de sua carreira – “Nada vai mudar isso...” (2007); “Sexo e Luz” (2008); “Um” (2009) e “Filhos do Atlântico” (2010). Além do show de lançamento de seu primeiro CD homônimo no Teatro Alterosa em Belo Horizonte com gravação ao vivo do DVD Renato Ribas, em 2015.

 

Sobre o projeto

“Música itinerante” é um projeto que tem como proposta levar ao público shows intimistas com uma programação diversificada de gêneros e ritmos musicais em vários locais da cidade. As apresentações acontecem sempre em ambientes acolhedores, o que propicia a interatividade dos artistas com o público. Na sua terceira edição o projeto já recebeu artistas como, Andrea Amendoeira, Carona Brasil, Coletivo Negras Autoras, Fernando Muzzi, Lívia Itaborahy, Laura Catarina, Lu Toledo, Marina Machado, Pablo Castro, Selma Carvalho, Sérgio Pererê, Tadeu Franco, entre outros. O “Música Itinerante” é realizado pela Favo Cultural, Imago Design e Cultura e Naza Music.

 

Projeto 'Música Itinerante' apresenta Renato Ribas com participação especial do Trio Amaranto
15/12 (sábado) – 21 horas 
Cine Theatro Brasil Vallourec/Teatro de Câmara

Classificação: Livre
Informações: (31) 3201-5211

Duração: 80 minutos

Ingressos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia). Venda na própria bilheteria do teatro ou pela internet www.eventim.com.br

 

Assessoria de Imprensa
Luciana Braga – (31) 98742-9632

 

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!