Campeonato Brasileiro: As cortinas da emoção estão se fechando
19/11/2016 04:50 em Esporte

Por Vinícius Silveira

Alô amigos da Rádio Barreiro, aquele abraço para vocês. Nosso Campeonato Brasileiro vai chegando ao seu final, mas antes de fechar as cortinas da emoção, a história dos participantes de mais um Brasileirão vai sendo conhecida. 

Aqui em Minas Gerais, o América confirmou aquilo que era previsto ainda no primeiro turno. A soberba que gerou ignorância castigou o time alviverde com o rebaixamento para a segunda divisão nacional.

Todo mundo sabe que diretoria do América é a única culpada de tudo de bom e de ruim que aconteceu com o Coelho. A direção alviverde tem consciência do que fez. Foi iludida e pagou um alto preço por algo que lhe era tão caro e impagável. Confesso que vou deixar terminar o Brasileirão para analisar friamente toda a situação. Vamos torcer para que em 2017 o alto comando americano não repita os mesmos erros. 

***

O Cruzeiro colocou o último prego no caixão do rebaixamento, enterrou, despejou terra e saiu andando aliviado após a vitória sobre o Sport Recife por 1 a 0. Com 47 pontos, o time celeste deixa para Sport, Vitória e Internacional a definição de quem fará companhia a Figueirense (palpite meu, ele vai cair), Santa Cruz e América (confirmados na Série B 2017).

Com toda franqueza, não tem que ter festa por parte dos cruzeirenses. É por causa de posturas como essa que o Cruzeiro disputou o Brasileirão para não ser rebaixado por dois anos seguidos. 

O Cruzeiro só não caiu porque era o melhor entre todos os times que lutaram para não serem rebaixados. Isso não é mérito para ninguém, muito menos para um time do tamanho do Cruzeiro Esporte Clube. 

Torcedor celeste seja severo e cobre da diretoria cruzeirense um time de qualidade para 2017. Títulos, tradição e história não entram em campo e não ganha campeonato. Argumentos como estes só servem para bater boca com rivais. Dentro das quatro linhas, são bons jogadores e um bom técnico que faturam os compromissos. Pense bem e comece a agir sem fanatismo. O Cruzeiro vai agradecer e muito.

***

O Atlético mostrou que o caminho para entrar na fase de grupos da Copa Libertadores da América será pela Copa do Brasil. O Galo jogou bem, mas não ganhou do Palmeiras. O empate por 1 a 1 só serviu para definir o G-3, com Palmeiras, Flamengo e Santos, além de colocar o verdão muito perto de seu nono título brasileiro. 

O que percebi ao me apresentar no Estádio Independência e cobrir a partida, é que o técnico Marcelo Oliveira utilizou o jogo como teste para a decisão da Copa do Brasil contra o Grêmio. Escalou Luan e Maicosuel no meio e deu ritmo de jogo aos dois, fechou o setor defensivo e o ataque. O time que jogou contra o Palmeiras, a exceção de Fred, que já jogou o torneio pelo Fluminense, é o que deve entrar na final do torneio contra o tricolor gaúcho. 

***

Outros assuntos também no futebol

O Internacional demitiu Celso Roth e contratou Lisca para salvar o colorado gaúcho do inédito rebaixamento para a Série B de 2017. A queda de Roth se deu após o empate contra a Ponte Preta por 1 a 1, no Beira Rio.

Sem querer bancar o Profeta do Acontecido, por sinal, nome que dá título a um dos livros do meu grande amigo Flavio Anselmo, mas Celso Roth está na lista dos treinadores ultrapassados do futebol brasileiro. Talvez ele salvasse o Internacional, mas a probabilidade de Roth ser o "Salvador da Pátria" era remotíssima. Também não acho que o Lisca, apelidado de doido, seja o candidato mais adequado. No entanto, na hora do aperto que se conhecem as pessoas. Quem sabe a qualidade como treinador aprovada em gramados nordestinos não ajude o Internacional! Vamos esperar.

***

Sobre o problema Grêmio x STJD na decisão da Copa do Brasil. A Carol Portaluppi é linda, maravilhosa e um espetáculo de beleza. Mas é um ser humano como qualquer outro. Se ela não estava gabaritada para entrar no campo de jogo, é invasão. Porém, ela não entrou no gramado durante a partida entre Grêmio x Cruzeiro. Ela não atrapalhou o andamento do jogo. Com este argumento, vejo que a punição com a perda de mando de campo como um exagero extremo.

Mas aqui, alguém acha que no país onde tudo se dá um "jeitinho", o Grêmio vai deixar de jogar na Arena logo na decisão da Copa do Brasil? Lógico que não. Vai empurrar pra frente até não poder mais, e vai cumprir tal punição em outra edição do torneio. Vamos torcer por uma grande final e que o melhor seja o grande campeão.

Foto: Divulgação/CBF

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!